Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Rio Claro

Rio Claro obtém pontuação máxima no ranking nacional da universalização de saneamento

O Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) de Rio Claro tem como principal objetivo levar água com qualidade às torneiras de todo o município, sempre com responsabilidade com a saúde pública.
 
Mais uma vez esse compromisso foi confirmado em boletim divulgado na segunda-feira (17) pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), apontando Rio Claro em segundo lugar no Ranking da Universalização do Saneamento entre cidades de grande porte (acima de 100 mil habitantes) em todo o país.

Compõem o ranking 1868 municípios do Brasil e todas as 27 capitais neste instrumento de avaliação do setor, onde são avaliados o abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos, destinação adequada, taxa de internações por doenças relacionadas ao saneamento e plano de saneamento, permitindo identificar quais municípios estão próximos da universalização do saneamento.

As cidades foram classificadas em quatro categorias, sendo a pontuação máxima possível de 500 pontos, com Rio Claro entre as três únicas que alcançaram 100% em todos os cinco indicadores, classificado como "Rumo à universalização", cuja pontuação é acima de 489 pontos.

"É um resultado bastante expressivo, que reforça a nossa preocupação em levar água com qualidade para toda a cidade", afirma o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, ressaltando que Rio Claro ficou à frente de todas as capitais do país.

Nesta classificação, apenas 33 cidades consideradas de grande porte estão na lista. A Cidade Azul ficou atrás apenas de Piracicaba, que possui Plano de Saneamento, enquanto em Rio Claro está em fase de elaboração. A terceira cidade com pontuação máxima foi São Caetano do Sul, mas com maior taxa de internações: 24, contra 25 de Piracicaba e apenas cinco de Rio Claro. A única capital presente neste ranking é Curitiba, em quarto lugar, com 499,99 pontos.

"Seguindo as determinações do prefeito Juninho, o Daae consegue prestar um serviço de excelência devido à  equipe capacitada e empenhada que possui, o que é  confirmado em mais uma análise de outro órgão competente", destaca o superintendente do Daae, Paulo Roberto Bortolotti, lembrando que além desta avaliação, a Agência Reguladora (Ares-PCJ) também tem feito análises na rede de abastecimento, atestando a qualidade da água em toda a cidade.

Das cidades da região nessa lista, Araraquara aparece na 30ª colocação, com 492,37 pontos, seguida de São Carlos, com 491,58 e em penúltimo neste ranking, Limeira, com 491,06.

Para assegurar a qualidade da água, há anos, o Daae faz um rígido trabalho na análise da água, com a coleta diária de 10 amostras, realizando cerca de 150 análises todos os dias. Equipes rotativas trabalham 24 horas por dia, seguindo um rígido controle de dosagem de produtos químicos e acompanhamento dos padrões de qualidade, conforme as determinações do Ministério da Saúde. Além disso, análises de controle de qualidade da água são feitas a cada hora antes da saída da água tratada para toda a cidade.

Esses cuidados abrangem todo o sistema de distribuição das duas Estações de Tratamento de Água (ETA 1 e ETA 2), que funcionam diuturnamente, com análises de controle de qualidade feitas a cada hora antes da saída da água tratada para toda a cidade.

Para melhorar ainda mais a infraestrutura da autarquia, o Daae aguarda a aprovação do projeto de financiamento de R$ 60 milhões que a prefeitura está tentando viabilizar para investir em pavimentação asfáltica, recapeamento, saúde e no Daae.

Desse montante, R$ 5 milhões serão destinados à autarquia para investimentos em melhorias na infraestrutura para melhorar a qualidade na captação, tratamento e abastecimento de água no município, além do pagamento do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) e troca de trechos da rede de abastecimento.

Telefone: 0800 505 5200 - 2011/2012 - Todos os Direitos Reservados - Implementação: www.cebinet.com.br
Desenvolvimento: Leonardo Marcondes e Rogério Ap. Picceli - Colaborador: José Eduardo Abdalla